MATANDO O POVÃO

Fontes oficiais mexicanas, do Sistema Nacional de Segurança Pública da Secretaria de Governo, informaram à mídia que mais gente desapareceu no México, nessa última década, do que nas ditaduras da Argentina e do Chile.

Algo parecido ocorre no Brasil, em que as polícias militares assassinam, sistematicamente, pobres e negros, atribuindo, às vezes, a responsabilidade a duas entidades difusas: os autos de resistência e as balas perdidas.

Como, nas sociedades humanas, quase nada acontece por acaso, é bem possível que haja um projeto sistemático de eliminação de pessoas, numa espécie de eugenia.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.