E SE OS ECONOMISTAS ESTIVEREM ERRADOS?

Parece, na verdade, que eles estão e é isso o que afirma, educadamente, André Lara Resende, na entrevista de hoje a Cássia Almeida, do Globo, sob o título (aliás equivocado) “Verdadeiro Vício é a dependência do Estado”. Não estão errados, apenas, os nossos economistas brasileiros, mas os economistas em geral, especialmente os mais poderosos deles, norte-americanos, com quem a turma daqui aprendeu tudo o que … não sabe.

Lara Resende está publicando um livro tentando demostrar isso. Trata-se de uma constatação assombrosa: se os economistas estão errados, todos esses jornalistas econômicos que ocupam tanto espaço da mídia ensinaram-nos coisas que não eram certas durante anos e anos, embrutecendo-nos.

Diga-se de passagem que eles – economistas, analistas e jornalistas econômicos – com os seus equívocos, fizeram ( no jargão da esquerda ) o jogo da classe dominante, que ficou cada vez mais rica, às custas do povão, que ficou cada vez mais pobre. O problema é que até os ricos estão começando a pagar o preço desses erros que, por outro lado, geraram alguns monstros que ameaçam devorá-los como, por exemplo, o Brexit e Donald Trump ( sem falar na recessão brasileira que atinge as empresas em geral ).

Pegando uma carona no discurso de André gostaria de lembrar um texto publicado neste Blog, “Questionando o conceito de valor de troca”, onde tento situar a raiz das falhas da Análise Econômica mainstream na noção de valor de troca, de Adam Smith, inspirada em Aristóteles. O fulcro do engano está na afirmação de que a troca teria antecedido a moeda e que a essência do dinheiro estaria no seu poder aquisitivo. Esse defeito, que foi agravado, posteriormente,  por Menger e Von Mises, contaminou a doutrina econômica até hoje o que André Lara Resende está tendo o mérito de denunciar.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.