O CRASH BRASILEIRO DE 2017

Os Estados membros da Federação estão quebrando. Os conservadores dizem as mesmas coisas que diziam seus poderosos símiles norte-americanos em 1929: que era preciso gastar menos e, cada vez que se gastava menos, maior era a depressão.

Tinha se disseminado, na época, nos Estados Unidos, a chamada cláusula ouro, que vinculava as dívidas à variação cambial do dólar frente à libra esterlina. O meio circulante já era de papel, e ninguém ainda confiava no papel, considerando que ele, diferentemente do metal, não tinha valor intrínseco. A correção monetária brasileira, imposta em 1964, é uma cláusula ouro ampliada, que abrange não apenas os negócios jurídicos mas os tributos e atos administrativos em geral.

Como ocorreu na América, em 1933, precisamos acabar com a nossa clausula ouro tupiniquem. Sem esse passo decisivo não sairemos da crise politico-economica em que estamos enfiados.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.