A RESTAURAÇÃO CONSERVADORA

De repente, como se estivesse escondida e “saísse do armário”, a direita política surgiu tendo se tornado difícil opor-se a ela.

A perspectiva deste blog é a de que a moeda é um elemento de ligação entre a Economia e o Direito. Acontece que a moeda está no meio da crise, envolvida por ela, o que dificulta encontrar os caminhos de saída. Como não há uma moeda internacional inexiste uma autoridade emissora centralizada com poder para controlar os juros e a quantidade de moeda em circulação tal como os Estados nacionais antigamente faziam. Os créditos e as taxas saíram do controle. As desigualdades tornaram-se abissais.

A caricatura dessa situação é o bilionário norte-americano Donald Trump, cujas atitudes evidenciam o ponto que a crise da razão atingiu.

Para não deixar que se percam totalmente as esperanças – e como concebo a circulação do dinheiro como um instrumento de sanção positiva – vislumbro uma saída pacífica através da instituição de um Banco Central Internacional que poderia ser precedido pela criação de uns poucos bancos centrais regionais. Essa seria uma forma de adaptar a ordem jurídica internacional à velocidade que a Internet imprimiu às nossas vidas, sem conseguir resolver os nossos problemas.


Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.