REFLEXÕES SOBRE A CORRUPÇÃO:conclusão

Em minha opinião deve-se opor a corrupção à transparência e não ao moralismo.

Existe, atualmente, uma organização não governamental, a Transparência Internacional (TI), fundada em março de 1993, sediada em Berlim, que tem como principal objetivo a luta contra a corrupção. Ela é mais conhecida pela produção anual de um relatório no qual se analisam os índices de percepção de corrupção dos países do mundo.

O estatuto da Transparência Internacional declara-a uma organização da sociedade civil global destinada a liderar a luta contra a corrupção. Ela pretende unir os povos numa coligação em escala mundial para tentar pôr fim ao impacto da corrupção em homens, mulheres e crianças ao redor do mundo, definindo, para isso, cinco prioridades globais na luta contra a corrupção: a) corrupção política; b) corrupção em contratos internacionais; c) corrupção no setor privado; d) convenções internacionais para prevenir a corrupção; e) pobreza e desenvolvimento.

Na luta contra a corrupção o moralismo, a meu ver, atrapalha mais do que ajuda.

É que o moralismo, como uma ideologia, obscurece a realidade, assim como a corrupção prejudica a transparência, de modo que ambos, no final das contas, se somam.

O conhecimento tem a intenção imanente de desvendar o seu objeto. Mas a ideologia – tal como a descreve KELSEN –   é uma representação não-objetiva, influenciada por juízos de valor subjetivos, que encobre, obscurece ou desfoca o objeto do conhecimento.

A “ideologia” encobre, pois, a realidade enquanto, com a intenção de a conservar, de a defender, a obscurece ou, com a intenção de a atacar, de a destruir e de a substituir por uma outra, a desfigura.

Por último é preciso não esquecer que a ideologia – tanto o moralismo  como a corrupção – tem a sua raiz na vontade, não no conhecimento, nasce de certos interesses, melhor, nasce de outros interesses que não o interesse pela verdade .


4 comentárioss até agora

  1. Murilo Felipe Bueno agosto 19, 2009 1:26 pm

    Prezado professor,

    O senhor tem outros materiais que abordem os temas: corrupção, moralismo e classe média?
    Acredito que o discurso da corrupção no nosso país é utilizado de forma distorcida e serve aos interesses de minorias influentes. Mas ainda não encontrei material que embase esse pensamento.
    Obrigado

  2. letacio agosto 19, 2009 2:08 pm

    Prezado Murilo: O que tenho, lamentavelmente, é apenas isso, que consegui publicar. Concordamos, ambos, com o mau uso que uma minoria influente está querendo dar ao tema corrupção, tão sensível para a classe média. LETÁCIO JANSEN

  3. Ana Maria setembro 3, 2015 10:22 am

    muito bom professor amei

  4. Kesia Bessa abril 29, 2016 9:04 am

    Adorei ! Parabéns

Deixe um comentário

Seu e-mail nunca será publicado.